24 outubro 2008

Não é tarde


Não é tarde para olhar para trás.

Todas as nossas risadas, todos os nossos sonhos, todas as nossas brigas, todos os amores, todas as fofocas, as mentiras, as verdades, todos os abraços, os selinhos, todas as fotos, todas as lições, as provas, as notas, as broncas, todos os elogios, todas as advertências, os dias atrasados, as faltas, o banheiro, a foto que da medo, do cheiro de primeiro dia de aula, de todas as borrachas perdidas, dos estojos, das mochilas, dos fichários.


Não é tarde pra lembrar que a maior parte da minha vida esta presa em cada uma dessas paredes,esta aqui,simplesmente gravada.É só olhar, em cada uma delas passa um filme,uma história que fala por si. As paredes daqui sentem a saudade que eu sinto,eu sei.


Ainda é cedo pra esquecer de todas as nossas histórias.Mas a partir de agora,escreveremos um novo livro,ou sabe se lá (?) um novo capítulo.Tanto faz. O que importa agora,é que cada um de nós seguirá o seu caminho,formará a sua estrada.Alguns serão médicos,farmacêuticos,psicólogos,dentistas,professores.Serão pais,serão maridos ou esposas,outros serão...eu não sei.E quem é que sabe?


O futuro vai ser escrito por cada um de nós. Mas eu nunca vou me esquecer dos nossos dias, de vocês.Das nossas manhãs e das nossas tardes.Todos vocês aqui,guardados pra sempre na minha memória.E como alguém um dia disse "O futuro começou ..."

12 outubro 2008

Amor Romântico



Ricardo nunca foi o mais bonito da turma, nem o mais simpático, nem o mais divertido, nem o mais criativo. Sempre foi simplesmente ele, Ricardo.


Levando sua vida de sempre, cansado de receber sempre os resto de tudo e de todos. Restos de carinho, restos de atenção, restos de amor. Uma doce miséria.

Desde criança era assim,e ele já havia até se acostumado com esta situação.As pessoas costumam mesmo se acomodar nesses casos.Situações ruins mas suportáveis.É lamentável,mas eu ,você e todo o mundo já deve ter se acomodado com algo nessa vida.E ele se acomodou a isso.Se acomodou a não esperar nada da vida,como se já estivesse aqui para levar nãos,e o que viesse dali em diante fosse lucro.Até que conheceu Flávia.Flávia,mais nova que ele ,mais divertida,espontânea,mais irreverente,mais simpática.Totalmente o oposto do que ele via todos os dias no espelho.

Ela era simplesmente o que ele queria ser.Não era nem de longe bonita porém, tinha tudo o que ele sempre quis ter.Uma família carinhosa,conforto emocional nas horas necessárias,doação de amor.Ele não sabia,mas no seu lugar mais intimo tinha como desejo ser Flávia.Em pouco tempo,e isso não é nem difícil de imaginar, ele se apaixonou.Se apaixonou loucamente.Caiu de amores.E ela talvez o amasse sim,mas não o suficiente,não ele,que já tinha cansado de receber migalhas por todos.

O seu ego se aflorava todas as vezes que ela dizia o amar.Finalmente ele podia morrer em paz,alguém o amava de verdade.O que se passava na cabeça dele era somente que ele era capaz SIM de fazer alguém o amar de verdade,e que não era só com as outras pessoas,ele também PODIA.

Com o tempo,as brigas,os ciúmes,os gritos iam desgastando cada vez mais o namoro,mas ele não abriria mão dela por nada neste mundo.Não ele.Flávia tentava terminar,ele não aceitava.E assim as coisas iam cada dia mais piorando.

Até que um dia,em mais uma daquelas brigas ela ameaçou se matar.Se matar.Flávia naquele momento não era nem metade da mulher que Ricardo havia conhecido um dia,trazia consigo a tristeza no olhar,a dor no coração.Sim,Flavia estava disposta a se matar por ele.Justo ele que um dia pensou que ninguém o amaria de verdade.E agora ela estava a sua frente,com um revólver nas mãos ameaçando se matar.A maioria das pessoas ficaria aflita com tal situação,assustadas.Mas ele não.Lá dentro dele a única coisa que passava era que alguém nesse mundo o amava tanto a ponto de estar disposta a se matar .Sorriu,um sorriso angustiado e misterioso.Como se tivesse chegado ao topo de uma escadaria gigante,alcançado um objetivo inalcançável.Afinal,para ele,era realmente o que tudo aquilo significava.

Vendo aquele sorriso Flávia não pensou duas vezes atirou,uma,duas vezes.Olhou o sangue saindo no meio das roupas de Ricardo e seu olhar assustado,de quem não entedia o que estava acontecendo.Ele a olhava quando foi embora desse mundo,e quem pudesse ver a cena com certeza diria que seus olhos diziam te amo.

Ela começou a gritar,gritar desesperadamente.Um grito de horror,de arrependimento.Ela só queria fazê-lo feliz,apenas isso.Apertou bem os olhos e atirou contra a própria cabeça.


E Assim,terminou mais uma história de amor romântico e ,enfim o "TE AMO ETERNAMENTE" estava consumado.

10 outubro 2008

Sua história,suas lágrimas,seus sorrisos


Ela passava horas se perguntando o que é que tanto tinha chamado a sua atenção para aquele garoto.Indagando porque ele a confundia tanto.Desde a primeira vez que o olhou nos olhos achava que viu nada mais que a si própria.E a força dele a empurrava,a segurava, prendia e encantava.

As histórias dele,as suas lágrimas,os seus sorrisos.Suas músicas bobas cantadas no banho,o toque das suas mãos,seu andar baixinho,sua voz rouca.Suas manias,suas loucuras.Tudo,todos os detalhes imensamente guardados,um a um em sua memória.Para sempre.

E pensava que era por isso que eram tão ligados um ao outro,eram tão diferentes e ao mesmo tempo tão iguais!As histórias que viveram juntos,as lágrimas e os sorrisos.

Os olhos dele.Os olhos mais tristes e mais lindos que ela já pôde ver.Teve vontade de mergulhar neles,descobrir cada detalhe da sua vida,cada ponto e cada vírgula.E ainda tem.