09 outubro 2007

Nem o Papai Noel me entendia!

Hoje enquanto almoçava comecei a me lembrar da minha infâcia...Não foi a melhor infância do mundo,eu não podia brincar de esconde-esconde na rua,nem de pega,taco,peteca,essas coisas...Aliás eu podia,desde pequena eu não faço nada que não quero mas,eu sabia,desde quando um carro quase passou por cima de mim que era MUITO perigoso.

Eu não era um exemplo de criança de propagandas,era mirradinha,emburrada,mas sinceramente era muito feliz!

Nas peças eu me vestia de bíquini de bolinha amarelinho,e nas festas juninas sempre dançava com um menino que fazia xixi na roupa.AÍ COMO EU ADORAVA MINHA ESCOLA!(uma realidade bem diferente da que eu vivo atualmente mas enfim).

E justamente hoje,no meio de tanta nostalgia me lembrei de uma certa vez que eu fui no shopping com meus pais porque eu queria falar de qualquer jeito com o Papai Noel.Bom,eu odiava os palhaços mas o Papai Noel?Esse sim era um cara Legal .Sentei no colinho dele e pedi para que ele me desse um irmãozinho e pedi também para que ele me desse uma outra casa em um desses lugares calminhos,pra que eu pudesse sair na rua e brincar a hora que eu bem entendesse.
O babaca do Papai Noel simplismente deu aquela risadinha tosca dele HOHOHO ,disse "QUE DIVERTIDO!" me deu uma balinha daquelas que a gente compra aos pacotes nas lojas de 1,99 e disse que SIM,que me daria o que eu pedi.

Eu queria conversar mais com o ele,saber como era a vida dele no Pólo norte,saber se ele era feliz com a Mamãe Noel,mas não me deram tempo,logo tive que sair do colo dele pra que outra criança se sentasse nele.

Naquele momento senti que meu mundo tinha acabado.Pensei que aquele velhinho de barbas brancas pudesse que entender.Pois é,nem ele me entendia.Foi nesse dia que me revoltei com o natal...E disse para o meu pai"-Não quero nunca mais ver esse tal de Papai Noel do shopping,prefiro você Paizinho."No natal que isso aconteceu eu não ganhei nem a casa que eu pedi,nem o irmãozinho.Mas sim ganhei um patinete irado!hahahahaha

Bom,pelos menos naquela época só o Papai Noel não me entendia...Hoje sinto que NINGUÉM me entende!

QUE SAUDADES!