21 janeiro 2009

Cartas,borboletas e lírios



Luisa andava tão distraída,perdida num mundo farto de sonhos,loucuras desejadas e consentidas.

Resolveu arrumar seu quarto,tirar os móveis do lugar,organizar os livros.Estava concentrada em uma pilha de livros de ciências quando se deparou a uma caixa estampada de borboletas e lírios.Ela nem se lembrava mais da existência da empoeirada caixa.Presas ali a muitos anos estavam centenas de cartas e bilhetes,cadernos tatuados de letras infantis ,corações gorduchos e estrelas tortas.Flores murchas,recortes de jornais.Pegou uma foto em suas mãos,era a foto da sua turma de colégio.Sorrisos estampados em todos os rostos.Caras joviais,misteriosas,gigantescos futuros aguardando serem desenhados.

Muitas lembranças,muitas histórias,muitas risadas,lágrimas,abraços,brigas,segredos secretos que ninguém deveria saber e que hoje não significa mais nada para ninguém.Nem para ela mesmo.Leu os bilhetes,pareciam ser escritos por crianças,crianças que desejavam conhecer um mundo ao qual não haviam lhe aberto as portas.E agora?Agora lá estava ela,dentro desse mundo que ela tanto havia desejado.Mas as portas haviam sido fechadas,não existiam maneiras para voltar.

Em um caderno colorido, letras de músicas antigas e em um saco plástico anexo um cd ali esquecido a muitos anos.Colocou-o no rádio e ouvindo teve vontade de voltar a um passado distante e remoto,se agarrar aos momentos felizes e nunca,nunca mais voltar ao seu mundo idiota.

Luisa queria mergulhar dentro da caixa cheia de borboletas e lírios ,rumo a uma meninisse feliz,atrevida e audaciosa
.Numa época em que ela podia ser apenas ela mesma,e não se preocupava nem um pouco com o que as pessoas pensavam ou diziam .