11 abril 2009

Amores possíveis

Repetia para si mesma : “meu coração tá ferido de amar errado” e queria um amor para esquentar seus pézinhos gelados durante a noite,queria as mãos que se tocam durante os dias nublados ,as vozes que se pedem e as bocas que se saciam.Mas ela não sabia o que era amar não...não sabia apenas pelo simples fato de não querer saber.Pois é,existem muitas pessoas assim : reclamam,reclamam porque sempre estão sozinhas mas são elas mesmas quem fogem do bendito do amor.E o amor ,você já deve saber,não é desses que insistem não.Você não quer abrir a porta para ele ?Pois muito que bem,ele vai embora sem dizer um Aí .


Há poucos dias encontrou uma pessoa que parecia ser um pedacinho da alma que lhe faltava,algo que alguém muito sádico lhe arrancou anos atrás.A outra asa para auçarem vôo juntos ,a sua metade perdida.E quando enfim,se descobriu tão parecida com ele,teve medo.Pensavam tão igual,agiam tão igual,queriam coisas tão parecidas que ela foi tomada pelo terror de não saber lidar consigo mesma.Fugiu.Fugiu como o diabo foge da cruz.Engraçado,quanto mais ela se esgueirava pelos cantos afim de ficar longe dele,mais e mais eles se aproximavam.Os olhos,a pele,a vida.E então,afinal,tinham sido feitos um para o outro.

Enfim,a garota abriu seus olhos e não conseguiu mais fechá-los,tratou de se esquecer dos amores impossíveis vividos no passado,dos amores mal resolvidos,das trevas que envolviam sua vida amorosa.Teve finalmente a sorte de um amor tranqüilo,com sabor de fruta mordida como já disse o poeta.Tratou de agarrá-lo com unhas,dentes,braços e pernas.

Abriu,escancarou as portas de sua vida para que o sentimento tomasse conta de cada parte de seu ser.Entre,sente-se e fique a vontade meu amigo pródigo.