01 abril 2009

Palavras desconexas


Olhou-o de longe.Pode vê-lo caminhando lentamente ao seu encontro.A luz do dia tocava a sua face,os olhos inertes viajando por algum lugar indefinido.Quando acordou de seu mundo imaginário e finalmente a viu,acenou rapidamente com um sorriso entreaberto nos lábios,sem deixar de caminhar em direção a garota.Ela parada,meio sem jeito,meio feliz ,um tanto confusa.Acreditava que tantas formalidades não cabiam mais no vão de tudo o que acontecera entre eles.

A luz que tocava a pele dele era a mesma que incendiava seu coração. Iluminava tudo por dentro e irradiava em todos os sentidos e direções.O que carregava dentro de si era tão forte que,quem possuía sensibilidade suficiente para poder enxergá-la simplesmente ficava cego.Foi o aconteceu com ele.E ele teve medo,teve medo do tamanho daquele sentimento,e fugiu.Não fugiu para muito longe,pois lá estava ele,tão perto e tão longe dela.

Com um sorriso no rosto lhe desejou Bom dia.Dentro dela uma tempestade silenciosa de sentimentos,vontades e loucuras secretas.Imaginava,repetia para si mesma palavras desconexas.Ama-me como eu te amo.Beija-me ,toma-me com tua.Seja meu hoje e sempre ! Usa-me,toca-me,cria-me,destrua-me,construa-me,amaldiçoa-me,enfeitiça-me,impressione-me,veja-me,vista-me,abraça-me.A sua extremidade sou eu.
Ele lhe respondeu Bom dia,e sentou-se ao seu lado.
Quantas loucuras cabiam na mente de ambos?Definitivamente Muitas.