20 setembro 2008

Sua Menina


Ele não necessitava de mais nada a não ser dela.Dela inteiramente e integralmente.


A amava desde o primeiro instante em que a viu.Era linda.Uma beleza natural,uma doce loucura que o enlouquecia,de verdade.Uma sinceridade esboçada a cada palavra dita,uma força que dominava sem razão,uma inocência cândida e um sorriso no rosto que tentava disfarçar o estrondo que ele causava em seu coração.O dele,não havia mais jeito, palpitava,batia rápido e gelado uma doce sinfonia.Era ela.Era ela,ele sabia.


Olharam-se,olharam-se bem no fundo dos olhos se descobrindo.Um instante que pareceu uma eternidade para ambos. Foi assim,se apaixonou.


Ela era o contraste perfeito dele,eram totalmente diferentes.Ela,desligada,desencanada,desbocada.Fazia o que queria fazer,chorava quando tinha que chorar,gritava se queria e sorria pra quem tinha vontade de sorrir.Ele,um adorável sonhador,preso nas paredes grossas da timidez.Abatido pelos golpes que levará através da vida,a vida que ele não tinha escolhido levar.Mas feliz,feliz como nunca,feliz como nunca estivera em toda a sua vida.


Ele a amava, amava cada pedacinho dela, cada loucura consentida,cada gargalhada extravasada.Mas ele a queria,a queria por inteiro,e não apenas um pedaço.Queria que fosse sua,mas ela não era de ninguém.A amava ainda mais e se odiava por isso.Por não conseguir fazer dela uma extensão de si.Por não fazer com que ela gostasse dele como desejava,não sentir como ele sentia.


Então ele sufocava as lágrimas e apertava o passo.Escondia propositalmente o seu amor.Entre ruas e esquinas tentava se esquivar da dor que o perseguia todas as vezes que lembrava da sua menina,sua menina livre que nunca conseguiu prender .

De sua menina que era e sempre seria livre,livre como ele nunca haveria de ser.