23 dezembro 2008

Vamos Juntas !

As quatro se olharam. Era realmente isso que queriam fazer?O medo estampado em cada um dos olhares.
"E se alguém nos pegar?"
"E se um conhecido aparecer?"
"E se minha avó resolver passar por aqui ? Ela me simplesmente me mata !"

Pensamentos transmitidos em sintonia na cabeça das amigas,era como se todas estivessem equalizado numa mesma sintonia de rádio.E o rádio não se cansava de repetir a mesma mensagem.“- Vão pegar vocês!”, “- Vão pegar vocês !”,“- Vão pegar vocês!”.

Até que uma delas tomou coragem e interrompeu o silêncio constrangedor.Nós temos que fazer isso.E porque perguntou a outra um pouco assustada com a própria ousadia.“-Porque nós temos que fazer isto Luisa?Eu não quero,não vou.”

E as quatro continuarem sentadas ali,num banco de praça escondidas do olhar curioso das pessoas que passavam.Luisa,Marilia,Beatriz e Sabrina.

“-Eu quero fazer e ponto.Tenho 13 anos,quero experimentar.Que mal a nisso?”Luisa Olhou para as amigas,nenhuma esboçava sinal de resposta afirmativa ou negativa.Pegou a mochila,lá dentro um maço de cigarros e uma caixinha de fósforos amassados entre os livros e cadernos.Os tomou nas mãos.Se sentia ainda mais mulher por isso.Abriu a pequena caixa,tirou um cigarro e o acendeu.Olhou novamente para as amigas.“-Que mal a nisso? Que mal,me digam?Esse vai ser nosso segredo.Toma Marilia,pega um.Você também Bia.Ah e você também Sabrina,vai fumar sim,você prometeu se lembra ?”

Acenderam os 3 cigarros restantes e fizeram contagem progressiva.
"-1,2 e 3 já !”
Disseram as quatro ao mesmo tempo.Deram um longa tragada no cigarro.Os olhos fechados,todas em uma profunda tensão coberta de fumaça.Ao terminarem de tragar, a fumaça saiu pelos quatro narizes,escura,cinza e pesada.Tossirem muito,engasgadas com a fumaça espessa.Sabrina as olhava com ar de espanto.Não acreditava que ela tinha realmente feito isso.Todas se olhara, e deram longas risadas agudas.Gargalharam alto surpresas com toda aquela ousadia.

Naquele dia elas descobririam que ser mulher não é apenas ser mas sim parecer,e naquele momento, era o que aquilo tudo significava : SENTIR-SE ainda mais mulher.Não que isto fosse uma realidade,mas era uma realidade na qual elas acreditavam se encaixar.

O significado de tudo aquilo em si não importava realmente.O que importava era que as amigas agora estavam ligadas ainda mais profundamente,possuíam um segredo. Se tornavam naquele instante mais do que amigas,agora eram cúmplices.E a amizade era realmente aquilo,elas pensavam.Se abdicar,se doar por um segredo,por uma alegria.Não era dizer "Boa sorte” mas sim “Vamos Juntas” .